Você sabe o motivo da ardência bucal?

Foto: Foto/Pexels

Por Roberto Terini

Aquela sensação de ardor ou queimação na mucosa bucal, com dor intensa e grande desconforto, é característica da síndrome da ardência bucal (SAB). Não há uma causa definida e a síndrome atinge principalmente mulheres após os 40 anos, podendo estar associada a fatores emocionais. Normalmente, não apresenta lesões visíveis na boca. As áreas mais afetadas são a língua e palato (céu da boca).

A redução da saliva, associada com alguns produtos usados na higiene bucal, pode provocar a sensação de boca ardente, com paladar alterado, podendo durar o dia inteiro ou mais. O que agrava essa condição são alimentos picantes, quentes, cítricos. O que alivia é a ingestão de alimentos frios e lubrificantes orais, junto com atividades de lazer, que possam diminuir a ansiedade e o estresse.

Os relatos incluem boca seca, gosto metálico, irritabilidade, distúrbio do sono, ansiedade, depressão.
Outros fatores causadores da síndrome são refluxo, candidíase, diabetes, deficiência vitamínica, alergias, feridas, fumo, álcool, hipotireoidismo, alergia a alguns materiais, bruxismo etc.

O diagnóstico deve ser criterioso, pois há sintomas semelhantes em várias outras doenças, como líquen plano, língua geográfica, estomatite por uso de prótese.

Para o tratamento, o paciente deseja algo que o livre desse incômodo o mais rápido possível, o que é agravado nos estados de depressão e ansiedade. Converse com seu dentista para estabelecer o tratamento mais adequado conforme seus sintomas e sinais. Utiliza-se, entre outros, de antidepressivos, vitamina B, aplicação de laser, acupuntura.

Para os pacientes com sintomas depressivos e de ansiedade, a psicoterapia é recomendada como parte do tratamento.

Deve-se evitar o fumo, reduzir o consumo de bebidas alcoólicas, frutas cítricas e alimentos condimentados e quentes. Hidratar-se constantemente e usar gomas de mascar sem açúcar para estimular a salivação e manter a boca úmida.

Deve-se avaliar o uso de próteses dentárias antigas, que pelo acúmulo de bactérias e asperezas, pode desencadear a ardência, devendo-se neste caso confeccionar uma nova prótese.

É muito importante essa conversa franca com o dentista, sabendo-se que a SAB tem vários fatores etiológicos, variadas possibilidades de tratamento, mas que podem apenas servir de alívio para a dor. Saber conviver com a síndrome, como enfrentá-la e manter-se ativo vão dar as condições emocionais positivas para superá-la.