Conheça os procedimentos odontológicos mais caros do Brasil

Conheça os procedimentos odontológicos mais caros do Brasil

Saúde continua sendo a prioridade, sempre, mas é impossível negar as idas maciças de pacientes aos consultórios dos especialistas para reconstruções estéticas. Dentes branquíssimos e brilhantes são o desejo de muita gente.

Nos últimos dez anos, a Sociedade Brasileira de Odontologia Estética calcula que a procura por estes tratamentos específicos tenham aumentado cerca de 300%. Mas alguma vez você já se perguntou o quanto isso pode representar no seu bolso? O investimento para a “boca perfeita” continua cada vez mais alto.

“Materiais importados, utilizados em muitos dos procedimentos, também sofrem reajustes a cada alta do dólar, por exemplo. E parte deste custo, infelizmente, precisa ser repassado aos nossos pacientes, mesmo que de forma discreta”, conta Adriana Canassa, ortodontista e especialista em estética dentária.

Com a ajuda dela e de outros profissionais, fomos buscar informações no mercado e levantamos alguns dos tratamentos mais caros do país. Prepare a carteira!

Clareamento

Veja: não estamos falando de soluções caseiras que você possivelmente viu no YouTube, nem de kits milagrosos oferecidos em sites de varejo: o clareamento dental é coisa séria – e precisa começar dentro do consultório, sob a supervisão de um especialista.

Adriana diz que, mesmo com a redução dos preços nos últimos dois anos, um procedimento sério, com aparelhos a laser e cuidados regulares em casa, podem variar entre R$ 400 e R$ 2.500,00.

Até que não parece tão caro, mas a especialista alerta. “Com o tratamento adequado e a manutenção necessária, aquela sensação de ‘branco’ tem duração de um até três anos, aproximadamente. E tudo precisará ser repetido, após este período. Não é uma condição permanente”, explica.

E estes valores, claro, não contemplam a moldeira de silicone, nem o gel que será aplicado nela – tudo para potencializar o efeito. A conta pode bater na casa dos R$ 4 mil.

Gengivoplastia

A operação de retração gengival parece simples, mas exige alguns cuidados especiais. O procedimento melhora o aspecto do sorriso e diminui aquela gengiva proeminente. No entanto, é um procedimento não só estético, mas também cirúrgico, com anestesia local.

São realizados cortes na gengiva, acima de cada dente, onde são inseridos cinzéis – uma lâmina de metal aguçada e um cabo de madeira reforçado – com os quais o dentista realiza o remodelamento da gengiva.

Em casos mais graves, o tratamento é um pouco mais lento e delicado – e a recuperação pode durar até 60 dias. Mas o processo é rápido, dura cerca de 30 minutos, e os especialistas garantem que não deixam cicatrizes.

A média de preços é bastante variável, de acordo com a complexidade, mas pode chegar a R$ 100 por dente (ou até ultrapassar este valor) – ou a partir de R$ 2 mil, caso seja necessário mexer na estrutura óssea.

Próteses em CAD/CAM

Prepare o bolso: elas chegam, em média, a R$ 2 mil por dente. Segundo a dentista e professora da Universidade do Estado do Amazonas, Fabíola Chui, as tradicionais coroas ganharam muito com a tecnologia e chegam a altos níveis de sofisticação.

A boca é escaneada e, em seguida, as próteses são esculpidas numa máquina, no próprio consultório e na mesma hora da consulta. “Poucos profissionais possuem esse equipamento no Brasil, muitos deles o adquirem via consórcio”, ela conta.

Estima-se que o tratamento dentário do cantor de pagode Belo, por exemplo, chegou aos R$ 100 mil reais – o profissional que cuidou de sua boca utilizou uma impressora 3D que moldou as suas 23 coroas em blocos de porcelana. Falando nisso...

Lentes de contato

As queridinhas dos famosos (e agora também dos jogadores de futebol) são as delicadas lâminas de porcelana, capazes de corrigir alinhamentos, diastemas, cor e até quebras. E por sua constituição, elas evitam que os dentes sejam desgastados para sua aplicação.

Elas são coladas com cimentos e adesivos e podem durar intactas por até 15 anos. Mas, definitivamente, elas não são para qualquer bolso: de R$ 2 mil a R$ 5 mil por dente. Nada fácil para quem precisa trabalhar com a própria imagem.

Aparelho Invisível

Ele já está longe de ser uma grande novidade, mas continua sendo um privilégio para poucos. Os aparelhos são feitos de acetato finíssimo, são quase imperceptíveis e capazes de corrigir o encaixe das arcadas, além de alinhar dentes afastados.

Moldeiras removíveis são trocadas a cada 15 dias e só podem ser retiradas para escovação e alimentação. E o tratamento pode durar de 6 meses a dois anos. Conta final? De R$ 12 a R$ 15 mil, em previsões otimistas.

Home Care Dentário

Sim, é possível! Pessoas com algum tipo de deficiência, problemas de mobilidade, depressão severa ou idade avançada têm dificuldades de seguir até o consultório mais próximo.

Pensando nisso, especialistas criaram o chamado Home Care Odontológico, que pode fazer desde simples avaliações até extrações, sem que o paciente saia de casa.

Já existem maletas com equipamentos portáteis, de fácil transporte, e com os mesmos itens presentes em um consultório convencional, como refletor, motor rotacional e até sugador.

Apesar da modernidade e até da humanização do tratamento, a Dra. Adriana Canassa alerta para alguns detalhes importantes. “Esta comodidade não pode ser levada em conta apenas por preguiça de ir ao consultório. Alguns procedimentos e casos mais graves ainda não podem ser avaliados ou mesmo executados no Home Care”.

Os profissionais são bastante reticentes em falar sobre preços de consultas personalizadas em domicílio, mas dá para se ter uma ideia, ao olhar os preços das tais maletas, o chamado consultório portátil: o completo custa por volta de R$ 14 mil, podendo chegar até a R$ 40 mil, caso o profissional adquira também cadeiras, raio x e sensores “autônomos” e transportáveis.


Autoestima e cuidado

Para a Dra. Camila Sorrilha Santos, os tratamentos mais caros hoje em dia são as reabilitações dentárias, e uma das mais comuns é a prótese sobre implante.

“O valor desse procedimento é caro porque ele é feito por profissionais especializados e o custo dos materiais, como os parafusos de fixação, é alto. Além disso, o trabalho do dentista ainda é complementado pelo laboratório de prótese, e tudo precisa ficar milimetricamente no lugar para que o resultado seja bem-sucedido”, justifica.

Já as facetas em porcelana são um procedimento estético que exige um trabalho complexo do profissional - geralmente em várias sessões, também com alto custo de material e de muita exigência por parte do paciente. “Eles geralmente querem um resultado perfeito, de alto nível, principalmente porque mexe com sua aparência e, consequentemente, com sua vaidade”.

Mas a especialista alerta. “É preciso pensar bem antes de realizar um tratamento desses, porque ele tem um alto custo e geralmente, em 90% dos casos, é uma ação estritamente cosmética, que não mexe com as funções do dente - não vai resolver dores ou eventuais problemas na mastigação. Eles são feitos para alteração na cor, na forma dos dentes e para preenchimento dos lábios. São caros e o resultado vai depender também da vontade e da colaboração do paciente, em seguir todas as recomendações do dentista”, ela conclui.