O álcool e a saúde bucal

Por Roberto Terini*

Por pesquisas, nota-se que apenas 16% das pessoas consideram os riscos que o álcool traz à saúde bucal. Além dos riscos iminentes da ingestão de álcool, uma droga que pode causar  dependência química e provoca danos no consumo em excesso para a saúde em geral, traz um desequilíbrio psicológico que leva o dependente a tomar atitudes de risco e até violentas.

Alguns malefícios podem ser enumerados como consequência do álcool para a boca:

* A ingestão do álcool, principalmente quando associado ao tabaco, aumenta  o risco de câncer bucal em 30%, além de desenvolver tumores na boca e esôfago e perda de dentes. Infelizmente são vícios aceitos e difundidos pela sociedade.

* Bebidas doces, como alguns vinhos e licores, pela presença do açúcar, grande alimento para as bactérias da boca , levam ao aumento do risco de cáries.

* Mau hálito: o álcool provoca uma desidratação no corpo e, por consequência, na boca, causando redução do fluxo salivar que por si só é um agente de limpeza. Menos saliva, mais bactérias, mais cárie, mais doenças da gengiva e mau hálito.

* As bebidas alcoólicas são muito ácidas, como o vinho seco, o que provoca desgaste do esmalte e aumento da sensibilidade.

* Manchas: com o desgaste do esmalte e o uso de bebidas escuras como vinho tinto e algumas cafeinadas, os dentes ficam manchados.

* Traumas: a ingestão de álcool , por exemplo, antes de dirigir, pode provocar acidentes, com sérios danos à face e aos dentes, além dos casos de tombos ou brigas que levam a traumas na boca.

Se mesmo assim você optar por ingerir bebida alcoólica, redobre os cuidados na higiene bucal e faça um bochecho com água após o consumo do álcool. E escove os dentes cerca de uma hora após, para evitar o desgaste do esmalte. Tomar a bebida com canudinho pode evitar o contato com os dentes.

Assim, o recomendável mesmo é evitar o álcool. Sua saúde e seu sorriso agradecem.


* Roberto Andrade Terini é dentista de adultos e crianças (CROSP 46020)