A diabetes e a saúde bucal

Foto: Getty Images

Novembro é o mês de conscientização sobre a diabetes nos Estados Unidos. Você sabia que a diabetes pode aumentar o risco de doenças bucais e outros sintomas que aparecem em sua boca? Um em cada cinco casos de perda total de dentes está relacionado à diabetes, segundo o Journal of American Dental Association.

Como a diabetes afeta sua saúde bucal? A doença da gengiva afeta 22% dos diabéticos. De acordo com o MouthHealthy, o website da American Dental Association para os consumidores, as pessoas com diabetes correm maior risco de ter problemas na gengiva devido ao baixo controle de açúcar no sangue. Você já notou uma ferida ou corte na boca que não desaparece fácil? O controle deficiente do nível de açúcar no sangue pode impedir a cura rápida e adequada dessas lesões.

Estudos mostram que algumas pessoas com diabetes têm menos saliva, então você pode sentir a boca seca ou muita sede. Para reduzir a boca seca, beba água. Você também pode mascar chiclete sem açúcar e comer alimentos saudáveis e crocantes para aumentar o fluxo de saliva. Isto é muito importante porque o açúcar extra na saliva e a saliva insuficiente para remover os restos de comida podem provocar cáries.

A diabetes também afeta o sistema imunológico, deixando a pessoa mais vulnerável à infecção. Um problema comum entre os diabéticos é a infecção por levedura chamada candidíase oral (ou sapinho). A levedura se desenvolve com a maior quantidade de açúcar encontrada na saliva, formando uma camada branca que cobre a língua e o interior das bochechas. A candidíase oral é mais comum em pessoas que usam dentaduras e muitas vezes deixa um gosto ruim na boca.

A boa notícia é que você pode começar a cuidar da sua saúde hoje. Controlar seu nível de açúcar no sangue, escovar, usar o fio dental e visitar seu dentista regularmente são ações que ajudam a diminuir a probabilidade de desenvolver esses problemas bucais relacionados à diabetes.

Veja mais informações em MouthHealthy.org.

Este artigo tem como objetivo promover a compreensão e o conhecimento sobre tópicos gerais da saúde bucal, e não substitui as recomendações, o diagnóstico nem o tratamento profissional. Sempre procure a orientação do seu dentista ou de outro especialista qualificado se tiver dúvidas sobre a sua condição médica ou o seu tratamento.