Quando é necessário extrair um dente?

(Foto: Getty Images)

Por Roberto Terini*

Já foi o tempo que retirar os dentes era a primeira opção ao menor problema detectado. Pessoas que antigamente tiveram todos ou alguns dentes extraídos se viram na obrigação de instalar uma “chapa” - que são cada vez mais raras atualmente.

Com o avanço da odontologia, dos materiais e das técnicas restauradoras tornou-se mais viável a recuperação dos dentes e menor a incidência de extrações desnecessárias. Ainda há casos de acidentes, posicionamento incorreto dos dentes e destruição devido à higiene ruim que levam à necessidade da extração, até para não causar um mal maior.

Quando é necessária a extração dental?

- Dentes de leite que não caem e atrapalham a erupção do dente permanente.

- Dentes do siso (terceiros molares) que não erupcionam, estão inclusos, estão em posição de difícil higienização, cariados ou por falta de espaço.

- Dentes destruídos por cárie extensa, por traumas, por acidentes.

- Dentes supranumerários (extras) que atrapalham o posicionamento dos demais elementos.

- Motivo ortodôntico, quando é necessário a criação de espaços para melhor alinhamento dos dentes.

- Casos de radioterapia ou medicamentos contra o câncer podem desenvolver infecções que levam à extração.

Há dois tipos de extração: a simples, realizada em dentes erupcionados e feita por clínicos gerais com a utilização de instrumentos apropriados; e a cirúrgica, mais complexa, em dentes que ainda não nasceram ou nasceram parcialmente, geralmente por especialistas em cirurgia, podendo haver a necessidade de um corte na gengiva e remoção óssea.

Como é o procedimento? Após avaliação do cirurgião dentista, munido de exames clínicos e radiográficos, e estabelecendo-se a necessidade da extração, poderá ser ministrado um medicamento antes da cirurgia, como antinflamatórios e antibióticos. Inicialmente, será feita anestesia local e a extração será feita com instrumentos cirúrgicos como alavancas e fórceps, visando o deslocamento do dente. O paciente não deve sentir dor, mas pode sentir o toque e o movimento do dente. Terminado o procedimento, serão dados pontos cirúrgicos para fechar o local.

* Roberto Andrade Terini é dentista de adultos e crianças (CROSP 46020)