Não seja um “amarelão”: o que fazer quando os dentes mudam de cor

Foto: Reprodução/ Pexels

Que alguns alimentos e hábitos modificam a cor dos nossos dentes, isso já sabemos. Fumo, chás, cafés, molhos, alimentos com corantes mito fortes, vinhos, refrigerantes – tudo isso aliado à falta de escovação resulta num grande amarelão na sua boca.

Cerdas duras da escova de dentes, cremes muito abrasivos e bebidas energéticas também não são lá grandes amigos da boca – nem mesmo daquela cor de aspecto saudável que todo mundo quer exibir num sorriso largo.

Você sabia que existe um guia que divide a tonalidade dos dentes em quatro tipos?

A letra A corresponde ao marrom avermelhado, B são amarelos avermelhados, C acinzentados e D, por fim, cinzas avermelhados. Em cada uma dessas graduações, existem níveis diferentes de escurecimento.

Caso você queira comparar os seus dentes com os da tabela acima, já é possível construir um bom parâmetro para saber onde sua boca se encaixa e quantas tonalidades ela deveria subir ou descer para encontrar a cor perfeita para o seu sorriso.

Mas é sempre bom lembrar: nenhum clareamento ocorre da noite para o dia. Mudanças radicais e instantâneas também regridem mais rapidamente. Além disso, tudo depende da estrutura dos dentes de cada um para se chegar a determinados resultados. As questões orgânicas são fundamentais para determinar a sua tonalidade natural, a quantidade de manchas que precisarão ser removidas e, claro, o melhor tratamento a ser escolhido pelo seu dentista.

Muitas vezes, explicam os especialistas, uma mudança de apenas duas ou três tonalidades já são suficientes para mudar visualmente a sua boca. Mesmo com o clareamento podendo proporcionar até nove ou mais graduações de diferença, é sempre importante pensar que quanto menos procedimentos químicos, melhor é a qualidade dos seus dentes.

Os procedimentos são fáceis, rápidos e negociáveis. Moldeiras, aplicação de laser e cremes especiais para usar em casa fazem parte da rotina de quem tem os dentes branquinhos. E algumas dicas curiosas podem ajudar no pós-clareamento: mascar chiclete, segundo os cientistas, produz mais saliva – o que protege os dentes. Além disso, se houver dor, o ato de mascar distrai as pessoas e diminui o incômodo. E, claro, como tudo que é demais é sobra, dê um descanso para seus dentes após realizar um clareamento. Eles também precisam de um respiro, como você.