Infiltração nas restaurações: como evitar?

Getty Images

Por Roberto Terini*

Restaurar significa recuperar, reparar, consertar, reconstruir. Obturar é tapar, fechar uma abertura. Embora a restauração seja popularmente conhecida como obturação, são coisas diferentes. A obturação fica restrita aos casos de curativos ou uso de materiais temporários. A restauração dentária é um procedimento que visa restabelecer a forma e as funções normais de um dente comprometido por cárie, fratura ou desgaste. A porção danificada é removida e o dentista insere um material restaurador (porcelana, resina, amálgama entre outros) na superfície limpa do dente, fechando também os espaços que possam ser ocupados por bactérias.

As infiltrações ocorrem quando se forma um pequeno espaço entre a restauração e o dente por falha no selamento marginal provocada por pequenas trincas ou fraturas no material restaurador, levando à passagem de fluidos, pigmentos e bactérias para o interior do dente.

Atenção para as causas

Além de falhas na inserção do material ou na sua composição, a má higiene bucal, a falta de uso de fio dental, o bruxismo e a ingestão de alimentos ácidos (sucos ácidos, refrigerantes, bebidas alcoólicas) podem facilitar essas infiltrações. O desgaste do material, sua contaminação com umidade no momento da inserção, a contração de polimerização das resinas compostas são outros fatores das infiltrações.

Essas infiltrações podem causar sensibilidade nos dentes, manchas, cáries secundárias, fraturas da restauração e do dente, envolvimento endodôntico e até levar à perda dental. Embora os materiais restauradores tenham evoluído ao longo dos anos, com maior resistência mecânica, ainda ficam sujeitos a falhas e ao desgaste natural.

Assim, a prevenção das infiltrações passa pelo lado do dentista de inserir corretamente o material, usar um bom sistema adesivo e realizar um acabamento e polimento efetivos. Já o paciente precisa manter uma dieta equilibrada sem alimentos ácidos e açúcares e realizar uma correta higiene bucal com uso do fio dental.

Visitar o dentista é fundamental

O retorno para consultas de avaliação com o dentista a cada seis meses torna possível a identificação rápida de qualquer defeito e consequente infiltração nas restaurações. Sendo a infiltração identificada no início, um reparo na restauração pode ser suficiente. Entretanto, quando a infiltração for extensa e a restauração apresenta claros sinais de desgaste e comprometimento estético, torna-se necessária a troca integral da restauração ou a reabilitação com prótese.

Levando-se em conta a questão financeira ou a falta de tempo do paciente, pode-se escolher temporariamente um material provisório, esclarecendo da necessidade da troca definitiva em pouco tempo. Conforme o nível de comprometimento do dente, optamos por uma restauração direta em resina ou, nos casos de grande perda de estrutura, por restaurações indiretas, como a porcelana, que muitas vezes exigem o tratamento de canal prévio.

Por tudo isso, a prevenção e as consultas periódicas com seu dentista são sempre a melhor opção para manter os dentes íntegros ou pelo menos o mínimo de restaurações necessárias sujeitas às infiltrações com o tempo.


* Roberto Andrade Terini é dentista de adultos e crianças (CROSP 46020)