Deu canal: descubra o que acontece na sua boca quando o tratamento é inevitável

Juliana Damasceno
Causas mais comuns de tratamento de canal são: dentes trincados, uma cárie mais profunda, tratamento dental repetido na raiz ou trauma na região afetada. Foto: Getty Images

Quem já não passou por aquele momento tenso de sentir dores na boca, deitar na cadeira, esperar a avaliação do profissional e ouvir o famoso “ih, deu canal”?

Sofrido, intenso, os problemas que atingem o canal da raiz dentária vão muito além da sensibilidade: podem infectar e até danificar dentes para sempre. Por isso é bom ficar atento na periodicidade e nos cuidados diários para evitar as dores profundas do tratamento. Mas e você, sabe o que acontece exatamente quando o seu canal da raiz dos dentes é afetado? Pois é, muita gente não faz a menor ideia de como é este procedimento.

O tratamento de canal de raiz dentária pode reparar e salvar dentes muito atingidos. O procedimento consiste em remover a área danificada do dente, a chamada polpa, promover a limpeza e a desinfecção, bem como o preenchimento e o selamento da área retirada.

As causas mais comuns que afetam os pacientes em geral são dentes trincados, que provocam infiltrações, uma cárie mais profunda e até mesmo um tratamento dental repetido na raiz ou um trauma na região afetada. O tratamento se faz necessário justamente quando uma destas lesões danifica polpa do dente, inflamando a raiz.

Fonte: Colgate

“Para aliviar a dor e promover o tratamento, precisamos acessá-la”, explica a Dra. Adriana Canassa. “Em geral, anestesiamos o dente para que uma abertura seja feita através do que chamamos de coroa. E utilizamos aquelas famosas ‘broquinhas’ para conseguir alcançar a polpa, que é o que realmente provoca as dores mais intensas, num procedimento chamado de pulpectomia”.

As tais brocas na verdade são limas especiais, usadas para eliminar a infecção e retirar a polpa doente dos canais. Segundo a especialista, elas também auxiliam na modelagem do canal para o material de restauração. “Feito isso, é hora de irrigar o local de abertura com um ‘plugger’, usado para limpar os canais e remover os resíduos ali presentes”, conta.

Os canais feridos são, finalmente, obturados com um material resistente, chamado guta-percha, que mantém os canais protegidos de infecções ou contaminações, que podem acontecer após os procedimentos, se não feitos com total cuidado e higiene. Para finalizar, há o preenchimento temporário da abertura feita para vedar, até que receba uma restauração permanente ou mesmo uma coroa, dependendo do estado de deterioração do dente tratado. Em alguns casos, usa-se um pino na raiz para fixar melhor a coroa, que será colocada e fixada com cimento.

Agora que você já sabe o que acontece dentro da sua boca durante um tratamento de canal, é hora de aprender os cuidados essenciais para não repetir o feito – nem as dores.

“A gente insiste, parecemos até chatos, mas uma boa higiene bucal é sempre fundamental para cuidar do que foi feito e prevenir o que pode estar por vir. Três vezes ao dia para escovações, mínimo de uma para o fio dental. Limpezas e exames precisam ser mais frequentes nestes casos. E alimentos muito duros, como o gelo, por exemplo, não são recomendados, devido à delicadeza dos dentes que passam por esse tipo de tratamento – eles podem quebrar, trazendo uma reincidência e danificando mais uma vez os canais de raízes”, completa a dentista.