Ciência descobre novos e eficientes heróis contra o mau hálito

Juliana Damasceno
(Foto: Pixabay)

Aquele bochecho demorado pode não ser mais suficiente para dar um jeito nos problemas relacionados ao mau hálito, sabia?

Afinal, segundo a própria Comissão de Halitologia do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP), uma única solução não pode ser tão poderosa para combater os mais de 60 inimigos listados da sua boca. Desde o início dos anos 1990, especialistas investigam as causas da halitose – uma espécie de lista de identificação científica.

Dos já conhecidos causadores do problema, como cigarro, álcool, alimentos com odor forte ou com enxofre em sua composição, até o estresse vem sendo listado como um coadjuvante de respeito neste rol de “vilões”.

E o que sempre foi um tabu, até mesmo entre pessoas conhecidas e queridas, tem ganhado outros contornos: de acordo com a Associação Brasileira de Halitose (ABHA), 30% da população brasileira sofre com a higiene bucal. Ou seja: mau hálito, mais do que um assunto desagradável, é um problema de saúde pública e precisa ser cuidado com mais carinho – tanto pelos dentistas quanto pelos próprios pacientes.

Porém, de acordo com a endodontista Adriana Canassa, novos procedimentos vêm sendo utilizados com sucesso no combate ao mau cheiro. “Aquelas dicas de sempre continuam valendo. Uma boa dieta alimentar, beber bastante líquido, especialmente água, praticar a higiene bucal completa também é indispensável. Mas, para além disso, muitos profissionais já estão usando os lasers como uma alternativa contra o mau cheiro”, ela conta.

Segundo a especialista, o laser atinge as glândulas salivares e recupera a produção normal e higienizadora de saliva – o que é fundamental para uma boca saudável. “Claro que um diagnóstico é preciso ser realizado com calma, antes de qualquer aplicação – especialmente na região da língua, onde muitas bactérias fazem morada. Mas, se respeitados todos os procedimentos, não há contra-indicações na maioria dos casos”, conclui.

E se você continua morrendo de vergonha de dizer àquele seu amigo que o cheiro de sua boca não o ajuda em nada, a ABHA oferece um serviço on-line para casos extremos: você pode mandar, via site, uma cartinha anônima ou e-mail para o coleguinha, para ajudá-lo a cuidar dessa parte tão importante de sua saúde. Basta clicar em https://www.abha.org.br/sos-mau-halito.