57% da população brasileira sofre de sensibilidade nos dentes

Foto: Reprodução/Pexels

Você pode não acreditar, mas está longe de ser uma pequena parcela a sentir aquela dorzinha incômoda ao consumir alimentos muito quentes ou geladíssimos: especialistas de saúde bucal afirmam que, no Brasil, 57% da população sofre com problemas de sensibilidade nos dentes. Uma média assustadora.

A chamada hipersensibilidade dentinária é muito mais comum do que os dentistas gostariam. Ela afeta os dentes por conta das superfícies da dentina expostas. E como isso acontece?

“O esmalte que protege nossos dentes pode sofrer desgastes, seja pelo tempo, má conservação ou até por excesso de escovação”, explica a endodontista Adriana Canassa. “Quando uma restauração é removida ou trocada, este fenômeno também pode aparecer”.

A exposição dos chamados tubos dentinários acaba sendo a causadora da dor. Na pessoa adulta, geralmente, explica a Dra. Adriana, a exposição da raiz dos dentes na área cervical (colo) ou mesmo uma retração gengival pode agravar a sensação desconfortável de tomar um suco muito gelado ou uma sopa bem quentinha. E não dá nem para disfarçar: aquela expressão facial de dor é quase inevitável.

“A raiz não coberta pelo esmalte contém milhares de pequenos canaizinhos que saem do centro do dente e levam o chamado feixe nervoso da polpa até a superfície. Qualquer pressão nestes canais provoca dor”, conta.

Mas para a especialista, o pior de toda essa história é: os pacientes, muitas vezes, convivem com essa dor por até anos! Não procuram o seu dentista por achar a sensação incômoda algo natural, por conta da temperatura dos alimentos. E isso só agrava mais e mais o problema, que poderia ser simples de ser tratado e se transforma numa vulnerabilidade até sem volta, em algumas situações.

“Um em cada quatro adultos sofre de sensibilidade nos dentes, é bastante comum, mas não chega a ser uma coisa normal! Não cuidar, deixar para lá pode deixar de ser apenas uma sensação dolorosa e virar cárie e doenças gengivais, se não houver acompanhamento do especialista”, alerta.

A prescrição de flúor em gel, enxaguantes bucais específicos e cremes dentais de baixa abrasividade são algumas das providências para diminuir as dores, mas não só isso – cada sensibilidade tem uma causa diferente e isso precisa ser levado em conta, ao longo do tratamento. E não se acanhe em perguntar: não saber da melhor forma de escovar os dentes não é nenhuma vergonha. Fale com seu profissional de confiança e fuja do fantasma da abrasão para poder consumir o que quiser, sem sofrimento.